09/02/2009

the motorcycle reigns

Finalmente, depois de dois meses, a nova U_MAG saiu. Vou contar todo o processo aqui, por que no final das contas, essa é uma das edições que mais me deixou feliz, em todos os detalhes e sentidos. Tudo começou em janeiro, procurando por coisas pra edição que era pra ser de... janeiro. A primeira coisa que caiu nas minhas mãos para essa edição foi uma revista não muito antiga com coisas do Martin Margiela escritas em preto com fundo envelhecido. Guardei e fiquei com essa idéia na cabeça ("talvez sim, talvez não"). Uma pausa: mesmo antes de eu colocar a edição de dezembro no ar eu já tinha um dos editoriais pra então edição de janeiro, o da Andrea Thompson, com o modelo Tayo. Deixei esse guardado. Dias antes de eu partir pro SPFW, chegaram as fotos da Anna Bellati, super poéticas e com peças da Manish Aurora e Yohji Yamamoto. Pronto, dois editoriais pra edição.

Nessa mesma semana que antecedia o SPFW, comecei a trocar e-mails com o fotógrafo Kevin Amato e acabou que ele me mandou as duas fotos que abrem a edição: a capa e a do menino de mascára. Deixei essas guardadas também. Nisso, chega o e-mail da Linda Gold, que enviou o editorial da Andrea Thompson em dezembro, perguntando quando a edição de janeiro ia sair. A resposta foi curta e grossa (eu acho!): soon. Haha.

No SPFW, claro, não deu pra pensar em muita coisa mas chegando um dia no hotel e ligando a TV eu encontro o filme O Motoqueiro Selvagem (Rumble Fish) começando no Telecine Cult. Sempre tive um pouco de preguiça com os filmes do Copolla (não o personagem do Tarcisio Meira, o diretor mesmo!), mas esse foi paixão a primeira assistida. A fotografia, as roupas do Matt Dillon, a música, a passagem das nuvens na janela do bar, enfim, tudo. Depois que acabei de ver o filme tive a certeza de que iria ter que fazer algo com ele na edição. E fiz, tá no ar, ó:

Depois disso, já de volta, comecei a pensar em entrevistas com pessoas legais. Nada muito aprofundado ou com muita preparação, afinal, a edição não segue um tema especifico. Deu branco e eu não conseguia pensar em ninguém. Ai, que o Gabriel resolve falar sobre o rapper Theophilus London. Quando bati o olho na capa do disco dele ((que é um remix da capa de um disco do Elvis Costello) fui fuçar um jeito de falar com ele (ou pelo menos tentar). Mandei uma mensagem no Facebook e ele respondeu na mesma hora e no outro dia o ponto de vista dele já tava no e-mail, pronto pra entrar na edição, que já estava com todos os editoriais montados dentro, mas sem um caminho. Tudo solto. E chegam também as fotos da série I'm Not A Island, do Ian Markell. Abaixo, Theophilus.

Olhando umas revistas encontro na Catarina uma foto de um look do Olivier Robe no Festival de Hyeres e lembro que alguém entrou na comunidade da marca dele, a Garde-Robe, no Facebook. Mandei as perguntas e ele super respondeu. É uma das minhas partes favoritas na edição, com a foto do Ash em triângulo (abaixo). A entrevista com o Jim (ou Big Jim) e o questionário com o Sacha Hilton foram super em cima da hora (tipo sexta feira passada!).

Isso é só um pouco. Na edição tem bem mais coisas, como os videos, nosso casting e uma frase direto de uma camiseta da Colette. E a edição está no ar, espero que todo mundo goste. Agora é começar a pensar na próxima.

Marcadores:

1 Comentários:

Anonymous fernanda disse...

a frase é a da crise? (eu amei, pus no ffffound na hora!)

10 de fevereiro de 2009 18:13  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Início